quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Telefônica recorre para manter provedor para Speedy

A Telefônica informou nesta quinta-feira que vai recorrer ao TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região nos próximos dias contra a decisão do juiz federal Marcelo Freiberger Zandavali, da 3ª Vara Federal de Bauru, que a condenou a indenizar clientes atuais e antigos do serviço de banda larga Speedy pela contratação de provedor de Internet.

Em primeira instância, a Justiça também proibiu a empresa de telefonia de exigir a contratação de provedor para o acesso ao serviço de internet de alta velocidade. A sentença atendeu a uma ação do Ministério Público Federal de 2003.

A decisão, no entanto, está suspensa durante o recurso da Telefônica. Mesmo se a empresa perder a causa em última instância, deverá ter um prazo de 30 dias para colocar a medida em vigor.

A Telefônica informou que vai recorrer porque a oferta do Speedy vinculada à adesão a um provedor é uma decisão da Anatel (Agência Nacional de Telefonia). A intenção seria proteger os provedores de uma concentração de mercado que poderia ocorrer se a empresa de telefonia passasse a oferecer o Speedy diretamente ao consumidor.

Há quatro anos, o Ministério Público entrou com uma ação para que a Telefônica desobrigasse os usuários de contratar um provedor à parte para ter acesso ao serviço Speedy. A ação também embutia o pedido para que companhia telefônica indenizasse "usuários e ex-usuários por danos patrimoniais e morais em razão de prática abusiva".

O Ministério Público argumentou na época que a Telefônica incorria na prática de venda casada e que a empresa tinha condições próprias de fornecer o serviço de acesso à Internet de alta velocidade sem necessidade de provedor.

Em sua defesa, a Telefônica alega que somente estava habilitada para prestação de Serviço Telefônico Fixo Comutado, "no qual se insere o transporte de dados em alta velocidade (Speedy), sem, entretanto, compreender o acesso à rede internet".

A empresa também rebate a acusação de prática de venda casada, sob o argumento que o provedor é somente um "serviço de valor adicionado" ao produto Speedy.

Ainda em primeira instância, o juiz determina que a Anatel permita à Telefônica "prestar o serviço de acesso à internet, por meio do serviço Speedy, sem a necessidade de contração, por parte dos consumidores do Speedy, de terceiro 'provedor' de acesso".

Parmalat retoma campanha "Mamíferos", 11 anos depois

A Parmalat está de volta.
É essa a mensagem que a empresa de alimentos pretende passar a partir de hoje, com a volta da campanha "Mamíferos Crescidos". Estarão no ar os mesmos atores que causaram comoção há 11 anos, quando a empresa distribuiu 15 milhões de bichos de pelúcia e viu suas vendas crescerem 20%.

Criada pela agência Africa, a campanha, de R$ 40 milhões, é a parte mais visível dessa volta da empresa ao mercado.






Bebê sereia










Bebê sereia" morre um dia após nascimento na Bolívia

da France Presse, em La Paz

Um bebê nascido com sirenomelia --ou síndrome da sereia-- morreu nesta quarta-feira, um dia após ter nascido, informou uma fonte médica do hospital público de La Paz.

O problema é caracterizado por uma malformação nas extremidades inferiores. As pernas se mostram unidas por uma membrana, como uma cauda de peixe.

A mãe do bebê, uma mulher de 23 anos, deu à luz por meio de uma cesariana. Ela completou os nove meses de gestação, segundo o médico Ramiro Pari, e é viciada em drogas e álcool.

A criança, que não tinha sexo determinado devido à indefinição dos órgãos genitais, apresentava também outros problemas, como deficiência pulmonar e sífilis.

Até agora só foram registrados três casos de bebês com a síndrome submetidos a cirurgia e que conseguiram sobreviver na Itália, nos Estados Unidos e no Peru. A menina peruana Milagros Cerrón é um exemplo de sobrevivência. Ela caminha e freqüenta aulas de balé.

Outdoor

Maior cassino do mundo abre suas portas em Macau










MACAU, 28 Ago 2007 - A gigante americana dos jogos, Las Vegas Sands, inaugura nesta terça-feira em Macau o "Venetian", o maior complexo de jogos do mundo, no qual investiu cerca de 2,4 bilhões de dólares.

Construído na Faixa de Cotai, banhada pelo mar, o Venetian é uma réplica de um cassino de mesmo nome de Las Vegas que tem a cidade de Veneza como tema.

O estabelecimento oferece 850 mesas de jogos e 4.100 máquinas caça-níqueis espalhadas em uma superfície equivalente a três campos de futebol.

Também possui 3.000 suítes, 350 lojas, um estádio para 15.000 espectadores, cerca de 30 restaurantes...

Macau mantém um crescimento extraordinário em seu mercado de jogos e no ano passado superou Las Vegas em termos de investimentos.

Ainda, a China









Pendurados pos cabos de aço, Jiang Dezhang, 27, e sua noiva, Tie Guangju, 26, beijam-se em casamento realizado nas alturas em Kunming (China); ambos são limpadores da parte externa de grandes edifícios.

Que bonitinho!

Governo chinês apresenta a ilustração da Polícia Virtual, que foi criada para combater a pornografia online e outras atívidades ilícitas na Internet.


Seria Bin Laden, Jesus Cristo?










Quadro de Bin Laden como Cristo causa polêmica na Austrália

SYDNEY - Um quadro em que Osama bin Laden é retratado como Jesus Cristo e uma estátua da Virgem Maria coberta com uma burca estão causando polêmica na Austrália, em uma exposição de arte religiosa.

A obra "Bearded Orientals: Making the Empire Cross" (Orientais Barbudos: Representando a Cruz do Império), de Priscilla Bracks, é uma "dupla visão" que ilustra Jesus e Bin Laden.

A estátua de Luke Sullivan "The fourth secret of Fatima" (O quarto segredo de Fátima) cobre o torso e a cabeça da virgem com uma burca azul, igual a que as mulheres afegãs eram obrigadas a vestir na época do governo do Taliban.

As polêmicas obras foram exibidas entre outras 500 no prestigioso prêmio Blake de arte religiosa e foram incluídas em uma exposição na Escola Nacional de Arte de Sydney.

"A escolha deste tipo de trabalho é uma ofensa gratuita às crenças religiosas de muitos australianos", disse na quinta-feira o primeiro-ministro John Howard ao jornal Daily Telegraph.

O líder da oposição, Kevin Rudd, também criticou as obras.

"Aceito a liberdade artística das pessoas, mas encontro estes trabalhos fora de lugar, extremamente fora de lugar. Entendo porquê há pessoas que possam se sentir ofendidas por isto."

A maioria dos 20 milhões de australianos é cristã, e a pintura foi condenada por um grupo cristão do país.

"É realmente infeliz que as pessoas tomem liberdades com a fé cristã que não tomariam com outras religiões", disse o porta-voz do grupo, Glynis Quinlan, a jornalistas.

Charges que satirizavam o profeta Maomé em jornais europeus em 2006 causaram protestos violentos de muçulmanos em todo o mundo, dizendo que se tratava de uma afronta ao Islamismo.

Fonte UOL.


Cameras digitais

Nova Sony tem detector de sorrisos, e Casio é compatível com o YouTube

Da Folha de São Paulo

As fininhas chegam cheias de atributos. A Sony apresentou, na semana passada, as Cyber-shot T200 e T70, enquanto a Casio lançou edições limitadas compatíveis com o YouTube.
A T200 tem visor LCD de 3,5 polegadas sensível ao toque, pelo qual é possível controlar funções e selecionar o objeto em que se pretende focar ou em que se deseja ampliar o zoom. As lentes, Carl Zeiss, têm zoom óptico de 5x. Outra função -um tanto estranha- é uma espécie de "modo sorriso", que alerta se os fotografados sairão devidamente sorridentes.
A T70 oferece as mesmas funcionalidades, só que seu visor sensível é de três polegadas e o zoom das lentes é de 3x. Ambas estão prometidas para setembro e deverão custar US$ 400 (T200) e US$ 300 (T70).
Já a Casio trouxe ao Brasil cem unidades de dois modelos Exilim capazes de filmar no modo YouTube Uploading. Com isso, os aparelhos podem enviar clipes diretamente para o site de compartilhamento de vídeos. O conteúdo é comprimido no padrão MPEG-4, com resolução de 640x480 pontos.
A Exilim EX-S880 tem visor de 2,8 polegadas e 8,1 Mpixels (R$ 1.900). Já a Exilim EX-Z77 tem visor de 2,6 polegadas e 7,2 Mpixels (R$ 1.400).

Estrela punk Siouxsie pede o fim do YouTube

A estrela do punk rock inglês Siouxsie o´t´Banshees defendeu o fim do YouTube e comparou o site ao demônio.

Em entrevista ao jornal inglês Sunday Times, Siouxsie lamentou que seu novo trabalho, o single Inside Swan tenha caído no YouTube. Segundo a cantora e líder da banda Siouxsie & the Banshees, ela nem teve tempo de mostrar a música para seu irmão pessoalmente. Antes disso, o hit caiu no site de vídeos e, depois, em redes de torrent.

“Eu odeio tudo isso. Este YouTube é algo que você tenta evitar, mas acaba caindo nele”, disse. A roqueira pediu o fim do site e disse que odeia duas coisas na vida, a tecnologia e o demônio.

Aos 50 anos, Siouxsie é uma das cantoras mais importantes de sua geração e influenciou grupos como The Cure, Morrissey, Tricky e Massive Attack, entre outros.

A roqueira, no entanto, não está só na luta contra as novas tecnologias. Este ano, o compositor Elton John pediu o fim da internet. Segundo o músico, a internet afasta as pessoas umas das outras, destruiu a indústria musical e prejudicou a forma como se produz arte no mundo.


TV e PC disputam espaço na sala de estar, em feira de tecnologia

Por Georgina Prodhan

FRANKFURT - TV via Internet, TV móvel e vídeo sob demanda podem ser os assuntos dominantes no setor de tecnologia, mas quando se trata de decisões de compra na feira de eletrônica IFA, esta semana, é provável que os televisores sejam um negócio maior do que nunca.

Expositores de todo o mundo irão a Berlim na esperança de induzir os cerca de 250 mil visitantes esperados na exposição a substituir seus televisores por aparelhos modernos com telas mais estreitas e que prometem melhor imagem. Eles contam com a ajuda de uma queda acelerada nos preços para convencer os consumidores.

"O vidro, em forma de televisor, voltará a ser importante", diz Mike McGuire, analista do Gartner Group. "Não considero que a televisão vá perder espaço nas salas de estar, por enquanto."

A expectativa é de que as vendas mundiais de televisores atinjam mais de 200 milhões de unidades este ano, alcançando faturamento de cerca de 115 bilhões de dólares, ou mais de um terço das vendas totais de bens eletrônicos de consumo. Destes, a maioria continuará a ser composta por aparelhos convencionais, equipados com volumosas telas de tubos de raios catódicos.

Os fabricantes esperam que suspensão das transmissões analógicas de TV, iminente nos Estados Unidos, Europa e partes do Japão, somada ao início das transmissões em padrão de alta definição (HDTV) em breve convencerá os consumidores a substituir seus antigos aparelhos.

Os televisores de tela fina, de plasma ou cristal líquido (LCD), custam em média cinco vezes mais que os modelos convencionais.

Um aparelho da Grundig que pode ser assistido ao ar livre e um televisor HDTV da Loewe que pode se comunicar com câmeras digitais, players de MP3 e redes de computadores estarão entre os milhares de produtos em exposição na maior feira de bens eletrônicos de consumo da Europa.

Com o tempo, porém, televisores, aparelhos de som e outros equipamentos analógicos devem ser substituídos por sistemas baseados em computadores. O Gartner estima que esse processo deva demorar mais três ou quatro anos. Quando essa hora chegar, a maioria dos analistas de mercado antecipa que começará uma queda nas vendas de televisores.

Trata-se de um desdobramento promovido não só por fabricantes de computadores, como a Hewlett-Packard ou Fujitsu-Siemens, que vêm oferecendo sistemas completos de entretenimento doméstico há anos, mas também por operadoras de telecomunicações ávidas por ingressar em um novo mercado.

Este ano a IFA tera uma conferência de um dia inteiro sobre IPTV (conteúdo televisivo entregue pela Internet), tecnologia que vendo segurada por oferta limitada de capacidade de banda larga e questões sobre direitos autorais.

A IFA será aberta ao publico de 31 de agosto a 5 de setembro.

A união dos homens é tocante, não é mesmo?

Certa noite uma mulher não voltou para casa. No dia seguinte, ela disse ao marido que tinha dormido na casa de uma amiga. O homem telefonou para as 10 melhores amigas da mulher. Nenhuma sabia de nada.


Certa noite um homem não voltou para casa. No dia seguinte, ele disse a esposa que tinha dormido na casa de um amigo. A mulher telefonou para os 10 melhores amigos do marido. Oito deles confirmaram que ele tinha passado a noite na casa deles e dois disseram que ele ainda estava lá!

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Bomba no avião da TAP (Transportes aereos portugueses)

video

Mais 2 capas

E não é que meu amigo Eugênio, gostou da
brincadeira e mandou mais 2?
Haja mau gosto!

:)

Valeu!




As piores capas de discos da história da música

O site mexicano Satirick publicou uma lista com as piores capas de discos da história da música. Entre os eleitos, artistas renomados como Abba, Menudo e Black Sabbath. No entanto, quem mais se destaca são os artistas alemães.

Segundo seus editores, a compilação é baseada em seus gostos pessoais e elege "as capas mais aterradoras e grotescas" capas de discos. "A maioria é realmente deprimente, de mau gosto ou com muito pouca criatividade", diz o site.

Destacam-se pelo mau gosto, as capas de discos como o da cantora Millie Jackson, fotografada no vaso sanitário, em disco chamado Back to the Shit (Retorno à M...), e do cantor Richard & Willie, com o disco Funky Honey, Nasty Nigger (Funky Doce, Negro Imundo), em que ele aparece na capa recebendo sexo oral.

No quesito "pior montagem fotográfica", artistas como a dupla hispânica Francisco y Fernando, com o álbum Vamos a la Playa, e o germânico Kjell Kraghe, com o disco Vind I Seglen.

Há também o alemão Heino, com Liebe Mutter... (Amor de Mãe), Jose Angel, com Madre Soy Cristiano Homosexual (Mãe, Sou Cristão e Homossexual), e a do grupo Orleans, em que seus integrantes aparecem todos sem camisa e abraçados.

A mais grotesca é a do grupo The Handsome Beasts, cujo álbum Beastiality mostra um homem obeso abraçando um porco em um chiqueiro com uma placa em que aparece a inscrição: "Please, Do Not Feed the Animals" (Por favor, não alimente o animais).



As piores capas















Frase Do Dia

"A mentira tem perna curta, barba branca e não tem um dedo."

E Deus fez a mulher.

Tava indo tudo tão bem...

E Deus fez a mulher...
E houve harmonia no paraíso.
O diabo vendo isso, resolveu complicar.
Deus deu a mulher cabelos sedosos e esvoaçantes.
O diabo deu pontas duplas e ressecadas.
Deus deu a mulher um corpo de Barbie.
O diabo inventou a celulite, as estrias e o culote.
Deus deu a mulher músculos perfeitos.
E o diabo os cobriu com lipoglicerídios.
Deus deu a mulher um temperamento dócil.
E o diabo inventou a TPM.
Deus deu a mulher um andar elegante.
O diabo investiu no sapato de salto alto.
Então Deus deu a mulher infinita beleza interior.
E o diabo fez o homem perceber só o lado de fora.
Mas que droga!!! Só pode haver uma explicação para isso:

O diabo só pode ser viado !!!!

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Daslu

Por "um brasileiro classe média"
Sempre tive vontade de conhecer essa tal de Daslu. Já que estava em São Paulo, por quê não ir? Ainda mais depois que me disseram que lá não existe nenhuma peça que custe menos de três dígitos, resolvi dar uma de São Tomé e ver para crer. A entrada já foi um problema. O segurança perguntou pelo meu carro - ou motorista. Quem já foi sabe muito bem: na Daslu, acreditem,
não se entra a pé, somente motorizado. Fingi que não era comigo e entrei.

Fui recepcionado por uma loira escultural com sorriso de anúncio de dentifrício, uma sósia escrita da Ana Hickman - com direito a 1m30 de pernas, chapinha no cabelo, olho azul e muito mais.
"Where are you from?"
"Belém do Pará".
"I beg your pardon!"
Tava na cara que eu não era paulistano. Mas daí a me confundir com gringo, já é demais. Eu lá tenho cara de estrangeiro?
Como um cão sabujo, onde eu ia, ela ia atrás. Dos milhares de itens que admirei boquiaberto, um em particular me encantou. Uma bolsa tiracolo Prada pra lá de maneira que imaginei que coubesse no meu orçamento.
Ressabiado, indaguei o preço.
"Nove, apenas nove. E o senhor pode dividir de três vezes no cartão".
"Nove o quê?"
"Nove mil..."
"Égua!"
A pequena ficou tão assustada com minha reação que cheguei a pensar que fosse chamar os seguranças. Mas não. Acho que ela sacou que daquele mato não sairia cachorro, no máximo um carrapato. Fechou a cara, deu meia-volta e sumiu.
Já que estava na chuva, resolvi me molhar. Entrei num salão onde só tinha Armani. Como já estava enturmado, perguntei o preço de um "vestidinho" de festa. Adivinhem? 100.000 pilas. Tu és doido! Uma estola de zibelina? 60.000. Fico imaginando quantos bichinhos foram sacrificados para esquentar o lombo de uma madame. Um blazer Ermenegildo Zegna (isso lá é nome de grife?), 13.000. Um óculos Gucci, 4.500. Uma cuequinha básica do Valentino, 260. Com direito a ouvir essa pérola do vendedor: "Leve logo meia dúzia, tá na promoção!". Imaginem quanto ela custava antes.
Na adega climatizada não foi diferente. Um Romaneé-Conti, safra 2000 - aquele do Lula - estava por módicos 8.000 reais. Uma garrafa de Johnnie Walker Blue, envelhecida 80 anos - uma das raras existentes no planeta, 55.000.
Fiz as contas e verifiquei que no final saí no lucro.
Vi gente famosa, coisas bonitas, tomei mineral Badoit, capuccino, Prosecco, champanhe Taittinger, fartei-me de canapés, foie gras, blinis com caviar (não era Beluga). Sou duro, mas sei o que é bom. Até confit de canard tracei. De quebra, profiteroles e apetitosos bombons trufados. As horas passaram voando.
Minha acompanhante finalmente apareceu e perguntou: "Vamos almoçar?"
"Almoço? Estou almoçado e jantado!"
Depois de conhecer quase tudo descobri que a Daslu é uma espécie de zoológico sem grades. Só que os bichos somos nós. Eu e você.
Acabado, me esparramei num confortável sofá. Enquanto esperava o resto da turma chegar, abri um livro e relaxei. Mal virei a segunda página, dois novos ricos falando alto, com mais sacolas do que mãos, sentaram ao meu lado esnobando:
"Amanhã vamos para o nosso haras em Catanduva. O reveillon será no
Guarujá".
Me deu uma raiva...
Peguei meu celular e resolvi mentir um pouco:
"Zé Luis, não encontrei nenhum 'Summer' para o reveillon. Abastece o
jatinho.
Partiremos amanhã cedo para Paris. Essa Daslu tá um lixo!"
A cara que os dois fizeram, não tem preço.

Redação de Português

Redação de Português. Espectáculo!!!!! Esta é uma redação feita por uma aluna do curso de Letras, da UFPR (Universidade Federal de Pernambuco - Recife) e, que obteve vitória em um concurso interno promovido pelo professor titular da cadeira de Gramática Portuguesa.

'Era a terceira vez que aquele substantivo e aquele artigo se encontravam no elevador. Um substantivo masculino, com um aspecto plural, com alguns anos bem vividos pelas preposições da vida. E o artigo era bem definido, feminino, singular: era ainda novinha, mas com um maravilhoso predicado nominal. Era ingênua, silábica, um pouco átona, até ao contrário dele: um
sujeito oculto, com todos os vícios de linguagem, fanáticos por leituras e filmes ortográficos.

O substantivo gostou dessa situação: os dois sozinhos, num lugar sem ninguém ver e ouvir. E sem perder essa oportunidade, começou a se insinuar, a perguntar, a conversar. O artigo feminino deixou as reticências de lado, e permitiu esse pequeno índice.

De repente, o elevador pára, só com os dois lá dentro: ótimo, pensou osubstantivo, mais um bom motivo para provocar alguns sinônimos. Pouco tempo depois, já estavam bem entre parênteses, quando o elevador recomeça a se movimentar: só que em vez de descer, sobe e pára justamente no andar do substantivo. Ele usou de toda a sua flexão verbal, e entrou com ela em seu aposto. Ligou o fonema, e ficaram alguns instantes em silêncio, ouvindo uma fonética clássica, bem suave e gostosa. Prepararam uma sintaxe dupla para ele e um hiato com gelo para ela. Ficaram conversando, sentados num vocativo, quando ele começou outra vez a se insinuar. Ela foi deixando, ele foi usando seu forte adjunto adverbial, e rapidamente chegaram a um imperativo, todos os vocábulos diziam que iriam terminar num transitivo direto. Começaram a se aproximar, ela tremendo de vocabulário, e ele sentindo seu ditongo crescente: se abraçaram, numa pontuação tão minúscula, que nem um período simples passaria entre os dois. Estavam nessa ênclise quando ela confessou que ainda era vírgula ele não perdeu o ritmo e sugeriu uma ou outra soletrada em seu apóstrofo. É claro que ela se deixou levar por essas palavras, estava totalmente oxítona às vontades dele, e foram para o comum de dois gêneros. Ela totalmente voz passiva, ele voz ativa. Entre beijos, carícias, parônimos e substantivos, ele foi avançando cada vez mais: ficaram uns minutos nessa próclise, e ele, com todo o seu predicativo do objeto, ia tomando conta.

Estavam na posição de primeira e segunda pessoas do singular, ela era um perfeito agente da passiva, ele todo paroxítono, sentindo o pronome do seu grande travessão forçando aquele hífen ainda singular. Nisso a porta abriu repentinamente. Era o verbo auxiliar do edifício. Ele tinha percebido tudo, e entrou dando conjunções e adjetivos nos dois, que se encolheram gramaticalmente, cheios de preposições, locuções e exclamativas. Mas ao ver aquele corpo jovem, numa acentuada edição tônica, ou melhor, subtônica, o verbo auxiliar diminuiu seus advérbios e declarou o seu particípio na história.

Os dois se olharam, e viram que isso era melhor do que uma metáfora por todo o edifício. O verbo auxiliar se entusiasmou, e mostrou o seu adjunto adnominal. Que loucura, minha gente. Aquilo não era nem comparativo: era um superlativo absoluto. Foi se aproximando dos dois, com aquela coisa maiúscula, com aquele predicativo do sujeito apontado para seus objetos.
Foi chegando cada vez mais perto, comparando o ditongo do substantivo ao seu tritongo, propondo claramente uma mesóclise-a-trois. Só que as condições eram estas: enquanto abusava de um ditongo nasal, penetraria ao gerúndio do substantivo, e culminaria com um complemento verbal no artigo feminino.

O substantivo, vendo que poderia se transformar num artigo indefinido depois dessa, pensando em seu infinitivo, resolveu colocar um ponto finalna história: agarrou o verbo auxiliar pelo seu conectivo, jogou-o pela janela e voltou ao seu trema, cada vez mais fiel à língua portuguesa, com o artigo feminino colocado em conjunção coordenativa conclusiva.'

Ele quem mesmo?

por Martha Medeiros

Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia
eu recebo um e-mail dizendo: "olha, não dá mais". Tá certo que a gente tava
quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo, mas não se termina
nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é
mesmo?

Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele
respondeu:"mas agora eu to comendo um lanche com amigos". Enfim, fiquei pra
morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor
para ele. Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais
inteligente, ele não volta pra mim? Foi assim que me matriculei
simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso
de cinema.

Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos,
espiritualizados e cinéfilos do planeta. E sabe o que aconteceu? Nada,
absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia.

Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser
ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito.

Decidi ser uma mulher mais feliz, afinal, quando você é feliz com você
mesma, você não põe toda a sua felicidade no outro e tudo fica mais leve.
Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi
me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei
meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número
de leitores do meu site e nada aconteceu.

Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos e filha única! Eu
não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi que eu tinha que ser uma
super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim. Foi então que
passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo
lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me
tornando mais culta e vivida. Voltei de viagem e tchân,
tchân,tchân, tchân: nem sinal de vida.

Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei
meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os
pobres, rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz
milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me
apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris.

Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar
sozinha. Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente,
chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas,
claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar.

Resultado disso tudo: silêncio absoluto.

O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo
ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele.

Até que algo sensacional aconteceu. Um belo dia eu acordei tão bonita, tão
feliz, tão realizada, tão mulher, que eu acabei me tornando mulher demais
para ele.
Ele quem mesmo?

Aconteceu na PUC-RS

Uma professora universitária estava acabando de dar as últimas orientações para os alunos acerca da prova final que ocorreria no dia seguinte. Finalizou alertando que não haveria desculpas para a falta de nenhum aluno, com exceção de um grave ferimento, doença ou a morte de algum parente próximo. Um engraçadinho que sentava no fundo da classe, perguntou com aquele velho ar de cinismo:- "Dentre esses motivos justificados, podemos incluir o de extremo cansaço por atividade sexual??"
A classe explodiu em gargalhadas, com a professora aguardando pacientemente que o silêncio fosse restabelecido. Tão logo isso ocorreu, ela olhou para o palhaço e respondeu: - "Isto não é um motivo justificado. Como a prova será em forma de múltipla escolha, você pode vir para a classe e escrever com a outra mão... ou, se não puder sentar-se, pode respondê-la em pé".

domingo, 26 de agosto de 2007

Estado vegetativo

Ontem eu e minha esposa estávamos conversando sobre coisas da vida.

Estávamos falando de viver ou morrer.

Eu lhe disse:

Nunca me deixe viver em estado vegetativo, dependendo de uma máquina e líquidos. Se você me vir nesse estado, desliga tudo o que me mantém vivo, por favor!!!

Ela se levantou, desligou a televisão e jogou minha cerveja fora.

:)