sexta-feira, 25 de abril de 2008

quinta-feira, 24 de abril de 2008

DESABAFOS DE UM BOM MARIDO

por Luís Fernando Veríssimo

Minha esposa e eu temos o segredo pra fazer um casamento durar: duas vezes por semana, vamos a um ótimo restaurante, com uma comida gostosa, uma boa bebida, e um bom companheirismo. Ela vai às terças-feiras, e eu às quintas. Nós também dormimos em camas separadas. A dela é em Fortaleza e a minha em São Paulo. Eu levo minha esposa a todos os lugares, mas ela sempre acha o
caminho de volta. Perguntei a ela onde ela gostaria de ir no nosso aniversário
de casamento. 'Em algum lugar que eu não tenha ido há muito tempo!' ela
disse. Então eu sugeri a cozinha.Nós sempre andamos de mãos dadas. Se eu
soltar, ela vai às compras. Ela tem um liquidificador elétrico, uma torradeira
elétrica, e uma máquina de fazer pão elétrica. Então ela disse: 'Nós temos
muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar'. Daí, comprei pra ela uma
cadeira elétrica. Lembrem-se, o casamento é a causa número um para o
divórcio. Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento.
Eu me casei com a 'Sra. Certa'. Só não sabia que o primeiro nome dela era
'Sempre'.Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de
interrompê-la. Mas tenho que admitir, a nossa última briga foi culpa minha.
Ela perguntou: 'O que tem na TV?' E eu disse 'Poeira'. No começo Deus criou
o mundo e descansou. Então, Ele criou o homem e descansou. Depois, criou a
mulher. Desde então, nem Deus, nem o homem, nem Mundo tiveram mais
descanso. Quando o nosso cortador de grama quebrou, minha mulher ficava
sempre me dando a entender que eu deveria consertá-lo. Mas eu sempre
acabava tendo outra coisa para cuidar antes: o caminhão, o carro, a pesca,
sempre alguma coisa mais importante para mim. Finalmente ela pensou num
jeito esperto de me convencer. Certo dia, ao chegar em casa, encontrei-a
sentada na grama alta, ocupada em podá-la com uma tesourinha de costura.
Eu olhei em silêncio por um tempo, me emocionei bastante e depois entrei em
casa. Em alguns minutos eu voltei com uma escova de dentes e lhe
entreguei:- Quando você terminar de cortar a grama,' eu disse, 'você pode
também varrer a calçada.' Depois disso não me lembro de mais nada. Os
médicos dizem que eu voltarei a andar, mas mancarei pelo resto da vida. 'O
casamento é uma relação entre duas pessoas na qual uma está sempre certa
e a outra é o marido...'

Madonna - Homenagem!

A coisa tá fácil!

Vai transar?
O governo dá camisinha.

Já transou?
O governo dá a pílula do dia seguinte.

Engravidou?
O governo dá o salário - maternidade e ainda 180 dias sem fazer nada.

O filho cresceu?
O governo dá a Bolsa Família.

Tá desempregado?
O governo dá Bolsa Desemprego.

Vai prestar vestibular?
O governo dá a Bolsa Cota.

Não tem terra?
O governo dá o Bolsa Invasão


Agora, experimenta trabalhar pra ver o que é que te acontece!

O QUE É ESPOSA?

Uma revista italiana promoveu um concurso para premiar a melhor definição de "esposa".

Olhe o texto ganhador, simplesmente um primor:

"Esposa é aquela pessoa amiga e companheira, que está sempre ali, ao seu lado, para ajudá-lo a resolver os grandes problemas que você não teria se fosse solteiro".

Para todos os Corinthianos...

Comeu a porca da vizinha!



domingo, 20 de abril de 2008

Internautas retomam controle de suas vidas e criam dia offline

Usuários maníacos de Blackberrys e remetentes compulsivos de mensagens instantâneas se desconectam

Jornal Estadao

LOS ANGELES - Sharon Sarmiento sabia que era hora de se desconectar quando percebeu que até seus sonhos envolviam mensagens publicadas em blogs e o mensagens instantâneas imaginárias. Para Ariel Meadows Stallings, foram as horas perdidas em navegação pela internet que a fizeram sentir como se tivesse passado por um coma alcoólico.
Ambas as mulheres são parte de um novo movimento sob o qual os adeptos da tecnologia, viciados em Internet, usuários maníacos de Blackberrys e remetentes compulsivos de mensagens instantâneas decidiram retomar o controle de suas vidas ousando se desconectar - nem que por apenas um dia.
"Acredito que exista alguma porção de nós, onde vive o bom senso, que nos faz parar e pensar que as coisas foram longe demais e que vivemos conectados em excesso", disse Sarmiento, uma mulher de cerca de 30 anos que é dona de uma empresa virtual e blogueira profissional, no Alabama.
"É como se nossas cabeças fossem em milhões de direções diferentes a um só tempo. Assim, reservar um dia para ficar completamente desligada de qualquer força tecnológica permite que recuperemos nossa conexão com o mundo real", disse ela.
Há quem chame a idéia de "Sabá secular". Para outros, é o "dia desconectado". Em Quebec, Canadá, Denis Bystrov e Ashutosh Rajekar, dois profissionais da computação, estão organizando um "dia mundial desconectado", em maio.

Stallings, 33, escritora, blogueira e executiva de marketing em tempo parcial para a Microsoft, em Seattle, em janeiro adotou a resolução de passar "52 noites desconectada", este ano.
"Amo a tecnologia. Não sou inimiga das máquinas. Mas compreendi que tinha um problema quando percebi que ocasionalmente eu me sentava ao computador para verificar e-mails e era como se acordasse apenas seis horas mais tarde, assistindo vídeos de animais no YouTube", disse.
"Eu tentava recordar o que havia feito nas duas horas passadas, e nem fazia idéia. Associo essa experiência àquela sensação de que o tempo passou sem que saibamos o que estávamos fazendo, que nos afeta depois de uma forte bebedeira", disse.

Depois de perceber o vício, Stallings mantém agora seu computador, celular e televisão desligados em todas as noites de quarta-feira.
E numa ironia, ela rapidamente disseminou a idéia por meio do seu blog (http://52nightsunplugged.ning.com) e se conectou a milhares de pessoas ao redor do mundo que habitualmente mandam mensagens de texto enquanto dirigem, levam seus laptops para o banheiro ou checam email durante o jantar.
"Eu achava que era um problema que afetava somente a mim e meus colegas geeks. Mas então comecei a saber que italianos têm os mesmos problemas, junto com poloneses e tchecos, e também já recebi comentários de pessoas na Colômbia", afirmou ela. "Então eu percebi que isso não é apenas um problema americano, mas internacional", acrescentou.
Sarmiento, que escreve o blog eSoup (http://www.esoupblog.com/), disse que ela retomou a pintura e começou a se envolver em projetos de voluntários desde que começou seu "dia de descanso digital" há dois meses.
"Eu já sonhei que estava blogando. Eu já naveguei pela Internet nos meus sonhos algumas vezes. E se eu começo a ouvir sons imaginários de mensagens chegando em meu computador quando estou no quintal de casa, isso me diz que passei muito tempo online", disse Sarmiento.

Enquanto isso, Stallings começou aulas de dança com seu marido, a se encontrar com amigos e a escrever cartas, à mão, claro.
Ela aguarda ansiosa o dia em que a tecnologia alcançar a necessidade de descanso digital. "Haverá celulares que poderão ser configurados para não receber e-mail depois das cinco da tarde do sábado ou aos domingos", disse ela.